Instituto de Bioética participa no 4.º Congresso de Enfermagem: Saúde no Século XX

Carlos Costa Gomes, docente Instituto de Bioética e investigador responsável pelo Projeto: O Contributo do Pensamento bioético em Daniel Serrão e o seu contributo no âmbito da bioética em Portugal, participou no 4.º Congresso de Enfermagem – Saúde no Século XX, realizado no ICBAS – Porto, com uma conferência sobre “O cuidado transacional: Essência da resposta à valorização do ser humano”

 

Partindo da análise ética, humanista e antropológica do cuidado e à luz do pensamento bioético de Daniel Serrão, salientou que sendo a natureza humana uma condição essencial e existencial – algo que possui dimensão humana e espiritual, o cuidado é próprio da existência humana. Falar da pessoa sem falar do cuidado não é falar da pessoa. Considerou ainda que as ciências da saúde, como é a enfermagem, no conjunto dos seus diversos saberes da saúde, procura criar uma outra sabedoria: a sabedoria do cuidado e do cuidar das pessoas doentes, é necessário passar da ontologia biológica para a ontologia ética relacional. Três paradigmas principais podem ser enunciados:

O primeiro paradigma de ética personalista que coloca a tónica na pessoa doente; o segundo paradigma de uma ética de virtude coloca-o no cuidador; e o terceiro paradigma de uma ética principialista situa-se no processo relacional e de decisão. Todos os paradigmas cabem na riqueza da relação no ato de cuidado entre um praticante das ciências saúde e de enfermagem, o cuidador e uma pessoa doente.

Conclui que os cuidados de saúde (médico/enfermagem) deve ser serviço temperado com a ética e com o ardor do amor/amizade. Servir sem ética é humilhar a pessoa e servir sem amor é ofender a sua dignidade. A ética é medida da qualidade do servir e amor é encher essa medida com valor sem medida.

Março 2019